Morituri

04/02/2018

No Arco-Íris da Gravidade, página 490 (Companhia das Letras-2005) é narrada a história do Tenente Morituri, um japonês cervejeiro que perseguia Marguerita, uma das amantes de Slothrop. Em minhas pesquisas encontrei esse filme de 1965 dirigido por Bernhard Wicki com Marlon Brando no elenco. O filme se passa durante a segunda guerra mundial e é baseado no romance alemão lançado em 1958 por Werner Jörg Lüddecke. Será que Pynchon chegou a ver o filme ou ler o livro? Abaixo coloco a sinopse do filme e já coloquei Morituri na minha lista de filmes para serem vistos em breve. A trama tem poucas ligações com o que é narrado no livro de Pynchon, só associei pelo fato de se tratar de uma trama que se passa na segunda guerra mundial e envolve nazistas e uma missão para o Japão.

Sinopse de Morituri (1965): Robert Crain é um alemão desertor que escapa para a Índia durante a Segunda Guerra Mundial. Descoberto pelos britânicos, ele é forçado a partir em missão para o Japão e embarcar disfarçado de coronel da SS em um cargueiro nazista camuflado carregado de borracha e com destino à França. Os aliados querem a preciosa carga mas sabem que os nazistas explodirão o navio se eles atacarem. Crain é um perito em explosivos e deve desarmar todos os artefatos desse tipo a bordo, para que o navio seja capturado sem risco de afundar. Para dificultar ainda mais sua missão, o capitão não o autoriza a andar pelo navio e a tripulação de condenados nazistas planeja matá-lo na primeira oportunidade.